Música Gospel

  • Administrador

O essencial na música é que ela contém o indispensável. E é somente o indispensável que agente precisa pra saber como lidar com as primeiras experiências de nosso dia a dia.
A musicalidade é uma apresentação de todas as nossas atividades e do nosso dia a dia. A atividade de Ministração coletiva na qual chamamos de canção congregacional que cresceu desde logo com o surgimento e a produção de novos Ministros de músicas deste gênero.
Música Gospel (do inglês gospel; em português, “Evangelho”) é um gênero musical composto e produzido para expressar a crença, individual ou comunitária Cristã. Como outros gêneros de música Cristã, a criação, a performance, a influência e até mesmo a definição de música gospel varia de acordo com a cultura e o contexto social. A música gospel é escrita e executada por muitos motivos, desde o prazer estético, com motivo religioso ou cerimonial, ou como um motivo de entretenimento para o bem esta de cada indivíduo. No entanto, um tema de música gospel é louvor, adoração ou Açao de graças a Deus, Cristo ou o Espírito Santo.
A Palavra Gospel: Em inglês, “Gospel”, derivada do inglês antigo “God-spell” que significa good tidings, ou good news, em português, “boas novas,” aludindo ao Evangelho bíblico que nos narra as “boas novas ao mundo” ou seja, a vinda de Cristo ao Mundo, pelos livros dos Evangelhos Canônicos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Uma tradução literária da palavra grega, euangelion para o Inglês eu- “good”, -angelion “message”, que significa em Português, boa mensagem”. Originalmente, no grego Clássico, angelion referia-se a gorjeta que se dava ao mensageiro que entregava uma (eu = boa) mensagem (“o antigo correio“), mas já dos anos de Cristo a palavra se cunhou no significado de “mensagem“. A palavra grega, euangelion é também a fonte do termo “evangelista”. Os autores dos Evangelhos Canônicos Cristão são conhecidos como os evangelistas. Geralmente, nos Estados Unidos, o termo Gospel é uma referência a trabalhos do gênero de literatura Cristã antiga.
Antes do primeiro Evangelho ser escrito (Marcos, c65-70 dC), Paulo, o Apóstolo, usou o termo euangelion quando ele lembrou ao povo da Igreja de Coríntios: …o Evangelho que vos anunciei … (I Coríntios Cap. 15 Ver. 1). Paulo asseverou que eles estavam sendo salvos pelo Evangelho, e ele caracterizou nos termos mais simples, enfatizando a aparição de Cristo após a Sua Ressurreição (I Coríntios Cap. 15 Ver. 3 aos 8).
No Velho Testamento ocorre somente no plural, e talvez somente no sentido clássico de uma recompensa pelas boas notícias” (II Sam. 4:10; 18:20; 18:22; 18:25-27 e II Reis 7:9. No Novo Testamento o termo aparece apropriadamente as circunstâncias das boas novas Messiânica (Marcos 1:1; 1:14), provavelmente derivando este novo significado do uso Euangelion em Isa. 40:9; 52:7; 60:6 e 61:1.
No Novo Testamento, o “Evangelho” significava a proclamação do poder da Salvação do Eterno Deus através de Yeshua Jesus de Nazareth, ou da mensagem do Ágape proclamada por Yeshua de Nazareth. Este é o uso no Novo Testamento original (por exemplo: Marcos Cap. 1 Ver. 14 e 15 ou I Coríntios Cap. 15 Ver. 1 aos 9; A palavra ainda é usada neste sentido.