VISÃO GERAL DAS FESTAS BÍBLICAS.

  • 08/08/2018
  • Administrador

VISÃO GERAL DAS FESTAS BÍBLICAS.
A Festa, conhecida pelos antigos hebreus (Israel) como Rosh Hashanah (cabeça do ano) é para nos Hebraicos Cristãos Discípulos do Messias a Celebração das Trombetas (Yom Teruah). De acordo com o calendário da Bíblia Sagrada as Santas Escrituras, o primeiro dia do sétimo mês (Tishrei). 
Em Levíticos nos diz: "23 Disse então Yahweh a Moisés: 24“Dize também aos filhos de Israel: No sétimo mês, o primeiro dia do mês será, para vós, dia de repouso solene, memorial anunciado ao toque do Shofar, trombeta que convoca à reunião do povo em santidade. 25 Não fareis nenhuma obra servil e apresentareis oferenda queimada a Yahweh!”. Levítico Cap. 23 Ver. 23 aos 25.*

A FESTA HEBRAICO CRISTÃ DAS TROMBETAS.     
O Eterno Deus e Pai não faz as coisas em vão, ou sem propósito. Os dias de Assembleia Solene (Santas Convocações) no Antigo e Novo Testamento não eram apenas algum tipo de Projeto Divino de atividades para manter os antigos Israelitas (escolhidos) ocupados enquanto eles estavam peregrinando pelo deserto. Todas elas: A Festa da Páscoa - (Pessach, Pães ázimos), a Festa das Semanas - (Pentecostes/Shavuot), a Celebração das Trombetas, a Celebração do Dia da Expiação, a Festa dos Tabernáculos (Sucot) foram, e continuam a ser Atos Proféticos das etapas do Plano de Salvação do Eterno Deus para toda a humanidade. Esses eventos estão sempre em andamento, para nós os Verdadeiros Cristãos em Yeshua, pois somos o Israel Espiritual, essas Festas são a operação visual da presença do Eterno Deus e Pai em nosso meio como Igreja.

OS SIGNIFICADOS PROFÉTICOS DAS "FESTAS BÍBLICAS DE YAHWEH".
As Festas de YAHWEH (Levítico Cap. 23), eram Centrais na vida do Antigo Israel e as referências a elas são presentes, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Elas contêm importante informação sobre o Plano e Dimensões de nossa grande redenção. Elas não são apenas históricas ou culturais, mas principalmente Proféticas e definitivamente apontam para o Messias Cristo o nosso Redentor.

*“Estas, pois, são as Solenidades de Yahweh, as Santas Assembleias, as quais proclamareis no seu devido tempo”. Levíticos Cap. 23 Ver. 4.*

As Festas são Proféticas em sua natureza, cada uma apontando para a forma única de algum aspecto da vida e da obra do Messias prometido. São demonstrações dos atos da Redenção que se desenrolariam nessa gloriosa história de amor entre o Eterno Abba e o Seu povo escolhido. 
Cada uma das Festas tem uma tríplice aplicação: 
(1) Comemoram um evento na história dos Discípulos da Casa Pai; 
(2) Apontam Profeticamente para um aspecto da redenção de Yeshua Jesus, o nosso Messias. 
(3) Apontam para os estágios da redenção dos Cristãos em Yeshua.

*“Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem”. Hebreus Cap. 10 Ver. 1.*

São 3 as Festas, e 4 os Memoriais (Celebrações) de Yahweh. Quatro delas falam de cumprimentos das Santas Escrituras e as demais apontam para eventos futuros, relacionados com os últimos tempos.

1. FESTA DA PÁSCOA (Pessach): 
Nos chama a atenção para o Messias como o nosso Cordeiro Pascal, cujo sangue seria derramado para redimir-nos dos nossos pecados. Yeshua Jesus foi crucificado no dia da preparação para a Páscoa (Pessach), ao mesmo tempo em que os cordeiros para a Ceia Pascal eram abatidos no Templo, depois de examinados por quatro dias e declarados próprios para o sacrifício: sem defeito. O sacrifício do “Cordeiro de Deus” no Calvário era a realidade do que a Festa da Páscoa era feita a cada ano. Ela ilustra Profeticamente a obra de Cristo como o Cordeiro que morreu por nossos pecados para que sejamos redimidos. Prefigura o livramento do pecado através do sangue de Cristo Jesus vertido no Calvário *(Romanos Cap. 3 Ver. 25; Efésios Cap. 1 Ver. 7).*

 

Memorial (Celebração) dos PÃES ASMOS: Nos chama a atenção para a vida do Messias sem pecado, fazendo d’Ele o sacrifício perfeito pelos nossos pecados. O corpo de Jesus (Yaohushua) estava na sepultura durante os primeiros dias desta Festa, como um grão de trigo plantado e esperando brotar como o pão da vida. Ela prefigura Profeticamente o despojar da nossa velha vida e sua natureza através da cruz de Cristo Jesus e a jornada rumo ao nosso destino n’Ele. *Romanos Cap. 6 Ver. 3 aos 12.*

Memorial (Celebração) dos PRIMEIROS FRUTOS: Nos chama a atenção para a ressurreição do Messias, como os primeiros frutos dos justos. Yeshua Jesus ressuscitou naquele dia, que é um dos motivos pelo qual o Apóstolo Paulo refere-se a Ele em *1 Coríntios Cap. 15 Ver. 20*, como as "primícias dos que dormem." Primeiros frutos prefigura o recebimento de nova vida do Espírito Santo (Ruach Hakodesh), Sua Presença vitoriosa em nossas vidas e o nosso novo nascimento como nova criatura em Cristo o Messias.

*“No entanto, em realidade, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo Ele o primeiro dos frutos dentre aqueles que dormiram. Porque, assim como a morte veio por um homem, da mesma forma, por um homem veio a ressurreição dos mortos”. 1 Coríntios Cap. 15 Ver. 20 e 21.*

2. FESTA DE PENTECOSTES (Shavuot): Nos chama a atenção para a grande colheita dos Frutos do Espirito, e dos Dons Espirituais e de ganhar vidas (almas), pessoas, multiplicar para o Reino do Eterno Deus para ser Igreja, Discípulos de Cristo. Esta foi efetivamente estabelecida neste dia em que o Messias Cristo derramou o Espírito Santo e cerca de três mil pessoas responderam à primeira proclamação do Evangelho do Cristo ressurreto. Pentecostes comemora a outorga da Lei no Sinai e prefigura realmente o revestimento de poder dos Verdadeiros Cristãos com o Espírito Santo. Prefigura Profeticamente ainda a Dádiva do Espírito Santo para ser o guia da Igreja *(Atos Cap. 1 Ver. 5 aos 8)*.
Segue-se um intervalo de três meses, entre Pentecostes e Trombetas. Que aponta para a atual fase da Igreja do Messias Cristo, um período mantido como um Mistério para os Profetas hebreus nos tempos do Antigo Testamento.

Seguem-se as três últimas Festas, que ainda estão para ser cumpridas Igreja pela vida e obra do Messias Yeshua. E como Cristo, literalmente cumpriu os quatro primeiros festivais (Atos Proféticos), e fê-lo nos próprios dias da Festa, é seguro assumir e crer que as três últimas também serão cumpridas e que o serão nos dias reais das Festas que elas representam. Com essa certeza de como serão cumpridas provavelmente elas têm as seguintes implicações Proféticas:

Memorial das TROMBETAS: Aponta para o arrebatamento, quando o Messias aparecerá nos céus como um noivo que vem para Sua esposa, a Igreja. O Arrebatamento é sempre associado nas Escrituras Sagradas com o forte tocar da última trombeta! *(1 Tessalonicenses Cap. 4 Ver. 13 aos 18; 1 Coríntios Cap. 15 Ver. 52)*. Trombetas é o toque de despertar dos Cristãos em Yeshua anunciando “eis o Noivo”, chamando-nos a uma fé firme e forte, uma militância consistente e um cooperar com os propósitos do Eterno Deus para o Israel Espiritual da Casa do Pai *(Lucas Cap. 21 Ver. 14 aos 31)*. Nossos destinos se encontrarão. Um chamado ao arrependimento genuíno e preparo para o arrebatamento da Noiva a sua Igreja.

Memorial do YOM KIPPUR / EXPIAÇÃO: Aponta para o arrependimento do Israel Espiritual (escolhidos) do Eterno Deus, em meio à Grade Tribulação, um remanescente que vão "olhar para Aquele a quem traspassaram", arrependerem-se de seus pecados e receberem-no como Messias. *(Zacarias Cap. 12 Ver. 10; Romanos Cap. 11 Ver. 1 aos 6; Cap. 25 Ver. 36)*. A Expiação é mais uma lembrança de que todo acesso ao Eterno Deus é através da remissão dos pecados baseada na substituição de Cristo Jesus, que se tornou nosso bode expiatório e levou sobre Si nossos pecados. Simboliza Profeticamente também o despojar dos vestígios do pecado através de uma rendição mais profunda, e do fogo refinador do Espírito Santo, o qual prepara a “noiva sem mancha nem rugas” para o retorno do Noivo *(Hebreus Cap. 12 Ver. 4 aos 11)*.

3. FESTATABERNÁCULOS (Sucot): Aponta para a promessa do nosso Redentor que Ele vai, mais uma vez, Tabernacular com o Seu povo, quando Ele reinar sobre todo a Terra a partir da nova Jerusalém espiritual do Eterno Deus *(Miquéias Cap. 4 Ver. 1 aos 7)*. Será o milênio de Cristo o Messias sobre a Terra *(Apocalipse Cap. 20 Ver. 4)*. Tabernáculos antecipa a vinda do Messias Yaohushua para estabelecer Seu Reino visível na Terra e a glorificação que os Verdadeiros Cristãos receberão em Sua vinda. A plenitude desse estágio final ainda não foi manifesto para nós seus escolhidos, mas está reservado para a hora do retorno de Cristo Jesus. Também antecipa a colheita final para a Igreja e a plenitude de nossa redenção.

*“Essas celebrações são apenas sombra do que haveria de vir; a realidade, todavia, encontra-se em Cristo” (Colossenses Cap. 2 Ver. 17).*

*“Eis aqui vos digo um Mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.” (1 Coríntios Cap. 15 Ver. 51 aos 53).*
Graça e Paz pra você. 
Seja Igreja, saia do sistema religioso.